Publicações e Posts

Esta é a seção de Postagens e Publicações, partilhadas pelos distintos blogs e mini-sites vinculados ao Jornal A Pátria. Para retornar a seção ou blog que estava anteriormente, basta clicar nela abaixo (ou "voltar" no navegador):
Imagem1.png
zz1.png
NP1 png.png
BGP.png
VAEP.png
Sem título.png

EM
CONSTRUÇÃO

CiroGomes-DialogosUNES-34-868x644.jpg
20476136_1492193220803409_18049806265874
10488323_427544194054900_376632240474063

Com mãe em coma, bancário é demitido pelo Santander por não atingir metas

Sindicato dos Bancários de Campos dos Goytacazes e Região protestou em frente a duas agências alertando para a perversidade do banco. Apesar do drama, bancário demitido não faltou sequer um dia.


Escrito por: Júlia Assis, do Sindicato dos Bancários de Campos dos Goytacazes e Região

O Sindicato dos Bancários de Campos dos Goytacazes e Região realizou um protesto há poucos dias em frente a agências do Banco Santander contra a demissão injusta e perversa de um bancário, dispensado por não atingir as metas de produtividade no período em estava acompahando a mãe, internada em estado de coma.


A mãe do bancário, demitido no início deste mês depois de cinco anos trabalhando no Santander, está internada há três meses devido a complicações de um pós-cirúrgico, na Unidade de Terapida Intensiva (UTI) de um hospital da cidade.  Enquanto acompanhava o estado crítico de saúde da mãe, ele não faltou um dia sequer ao trabalho e mesmo assim foi dispensado.


Durante o protesto, ocorrido das 7h às 11h, os dirigentes do Sindicato distribuíram panfletos à categoria e aos clientes, para chamar a atenção do que consideram insensibilidade do banco.


“É o tipo de atitude que deixa claro o que é prioridade para o banco, que se importa mais com o lucro do que com o respeito à vida das pessoas. Para os banqueiros deste país o que vale é o dinheiro, infelizmente”, disse o presidente do Sindicato, Rafanele Alves Pereira.


O bancário, cujo nome foi preservado pelo Sindicato para evitar exposição desnecessária, trabalhava na agência da Rua 13 de Maio, que só abriu às 11h. A outra ação ocorreu na agência do calçadão.


O Sindicato, que não descarta a possibilidade de novas paralisações, inclusive durante todo o expediente, já está preparando o processo para pedir na justiça a reintegração do bancário.


Outros casos


Em setembro deste ano, o Santander foi condenado a pagar indenização de R$ 274 milhões por dano moral coletivo porque submetia os bancários e as bancárias a metas abusivas e isso aumentou o índice de adoecimento mental ocupacional. Em outra ação, o Santander foi condenado a pagar uma multa de R$ 1 milhão por prática de assédio moral. As duas sentenças foram dadas pelo juiz do Trabalho,Gustavo Carvalho Chehab, da 3ª Vara do Trabalho de Brasília.

25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo