Publicações e Posts


 

Esta é a seção de Postagens e Publicações, partilhadas pelos distintos sites vinculados ao Jornal A Pátria. Para retornar a seção ou blog que estava anteriormente, basta clicar nela abaixo (ou voltar no navegador):

Itamaraty alega que ex-esposa de Jair teria alegado ameaça de morte do candidato em 2011

Segundo documento oficial de 2011 do Itamaraty, Ana Cristina afirmou que viajou à Noruega por medo do deputado. Hoje em dia ela nega que teria realizado tal relato do órgão de Relações Exteriores.

Reportagem da Folha de S. Paulo publicada nesta terça-feira 25 revela que Ana Cristina Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro, afirmou ao Itamaraty em 2011 ter sofrido uma ameaça de morte do candidato do PSL à Presidência, o que a teria levado a deixar o País. O jornal diz ter tido acesso ao documento.

A Folha havia publicado matéria no sábado 22 sobre Bolsonaro ter mobilizado o Itamaraty para descobrir o paradeiro de Ana Cristina na Noruega. Segundo o jornal, Bolsonaro havia ficado inconformado com a viagem feita à sua revelia.


Na reportagem desta terça 25, o veículo afirmou ter apurado com fontes e com o então embaixador, Carlos Henrique Cardim, que trechos originalmente cobertos por tarja preta no telegrama referiam-se à ameaça de morte.

"A senhora Ana Cristina Siqueira Valle disse ter deixado o Brasil há dois anos (em 2009) ‘por ter sido ameaçada de morte’ pelo pai do menor (Bolsonaro). Aduziu ela que tal acusação poderia motivar pedido de asilo político neste país (Noruega)”, diz o telegrama, segundo a Folha.

O episódio se passou em julho de 2011, quando Ana Cristina, que tem a guarda de jair Renan, de cerca de 12 anos de idade, embarcou com o menino para Oslo.

À Folha, Ana Cristina afirmou que Bolsonaro não queria "nem que o menino passasse férias comigo lá".


Ela disse na reportagem do sábado 22 que trata-se de um episódio "superado".


"Foi uma pressão que fez. Mas é uma questão de pai, de foro íntimo, entendeu, de família mesmo. Eu achava que ele nem deveria ter feito isso, mas se ele fez... E depois acabou tudo bem, ele tirou a ação e ficou tudo bem.”


ATUALIZAÇÕES


Nesta terça-feira (25), novamente procurada pela reportagem, Ana Cristina disse por mensagem de aplicativo de telefone celular que “não falou com nenhum cônsul ou vice”. Indagada se falaria com a reportagem ao telefone, ela respondeu: “Sobre este assunto não tenho nada a dizer”. Questionada se houve ameaças de morte de Bolsonaro contra ela por volta de 2009, ela respondeu que havia conversado com seu marido norueguês e ele “falou que não disse nada disso”. “Acho que vocês estão pegando pesado falando isso”, escreveu Ana Cristina.


Procurado pela Folha nesta terça-feira (25) o Itamaraty informou, por meio de sua assessora, que, “em razão do direito constitucional à privacidade, reafirmado na Lei de Acesso à Informação, o Ministério das Relações Exteriores não se pronuncia sobre questões específicas envolvendo brasileiros no exterior".

0 visualização

CONHEÇA A NOSSA LIVRARIA! COMPRE OS NOSSOS TÍTULOS!