Publicações e Posts


 

Esta é a seção de Postagens e Publicações, partilhadas pelos distintos sites vinculados ao Jornal A Pátria. Para retornar a seção ou blog que estava anteriormente, basta clicar nela abaixo (ou voltar no navegador):

  • Camarada C.

John Maynard Keynes não era de esquerda

Atualizado: 12 de Set de 2019



John Maynard Keynes (JMK) não era de esquerda. Esta afirmação não precisa ser feita apenas por quem tem uma definição estreita de esquerda, que considera como de esquerda apenas quem quer superação imediata do capitalismo. Mesmo que se considere de esquerda alguém que defende uma reforma do capitalismo, apoiando medidas como a tributação progressiva, a política do welfare state e demais mudanças pautadas pela luta de classes com trabalhadores organizados em partidos socialistas/trabalhistas, ainda assim JMK não pode ser considerado de esquerda, uma vez que nem isso o famoso economista britânico foi.


JMK nasceu em uma família do alto da pirâmide social britânica. Estudou matemática e filosofia moral, antes de lecionar economia. Nunca se rebelou contra sua origem social. Tinha ideias progressistas, defendia uma reforma social, mas acreditava que a reforma seria feita por elites esclarecidas. Não gostava da ideia de luta de classes. Seu partido preferido era o Liberal, o centro do espectro político britânico, entre os trabalhistas e os conservadores. Não gostava dos trabalhistas, porque não gostava de partido de classe, ainda mais de classe que não era a dele.


JMK só passou a criticar políticos do establishment em 1919, quando escreveu The Economic Consequences of the Peace, criticando severamente os negociadores do Tratado de Versalhes, esperando corretamente que ia dar merda. Naquele tempo, JMK só criticava políticos que ele considerava incompetente, mas ainda não criticava a teoria econômica do establishment. O principal mentor intelectual em economia de JMK havia sido o neoclássico Alfred Marshall, e JMK lecionava inicialmente a teoria de Marshall. JMK só começou a estranhar a teoria econômica do establishment em 1925, quando viu o fracasso da política de Churchill em tentar manter a libra supervalorizada.


Apenas em 1930, JMK publicou sua primeira grande obra sobre teoria, o Treatise on Money. Foi um grande marco. Pode se dizer que Keynes só virou keynesiano com 47 anos, já depois do crash de 1929. Em 1936, publicou sua famosa obra The General Theory of Employment, Interest and Money. Apesar de algumas semelhanças de sua obra com o pensamento de Marx, JMK nunca deu o devido crédito. Nunca se deu muito bem com o Kalecki, o polonês meio marxista meio "keynesiano".


Durante sua vida, JMK não convivia com sindicalistas e políticos de esquerda, e sim com gente das finanças. Fez muitas aplicações financeiras.


JMK não era de esquerda, mas ler sua obra é muito importante para quem é de esquerda, pois existe uma diferença entre biografia e obra.


Muitas das informações deste post foram obtidas a biografia de JMK escrita por Robert Skidelsky.


Por Meu Professor de Economia.

CONHEÇA A NOSSA LIVRARIA! COMPRE OS NOSSOS TÍTULOS!