Publicações e Posts


 

Esta é a seção de Postagens e Publicações, partilhadas pelos distintos sites vinculados ao Jornal A Pátria. Para retornar a seção ou blog que estava anteriormente, basta clicar nela abaixo (ou voltar no navegador):

Presidente da Unidade Popular (UP) é preso após ocupações em Belo Horizonte (por Revista Opera)

O presidente nacional da Unidade Popular pelo Socialismo (UP) e dirigente do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), Leonardo Péricles, foi preso ontem (24) em Belo Horizonte, junto de Poliana Souza e Maura Rodrigues, lideranças nacionais do MLB, após o movimento organizar a ocupação da prefeitura da cidade.

De acordo com companheiros de seu partido, as prisões ocorreram após o MLB organizar ocupação simultâneas, com 250 a 300 famílias, no prédio da prefeitura de Belo Horizonte e da Companhia de Habitação do Estado de Minas Gerais (COHAB). A prefeitura foi evacuada, e ocupada pela Tropa de Choque da Guarda Municipal e da Polícia Militar.


A ação tinha como pauta a regularização das ocupações da cidade, em especial Eliana Silva, Carolina Maria de Jesus e Paulo Freire, que teriam sido prometidas pelo atual prefeito da cidade, Alexandre Kalil (PHS), durante sua campanha.


A prisão de Leonardo, Poliana Souza e Maura Rodrigues ocorreu, de acordo com o movimento, durante uma reunião de negociação entre a prefeitura as lideranças. “Chegaram na reunião e não havia reunião: era uma arapuca, atrás de uma linha de policiais, separada da massa, e deram ordem de prisão, sem alegar qualquer motivo ou que crime teria sido cometido”, disse Aiano Bemfica, militante da UP e do MLB, que destaca que as ocupações foram pacíficas.


“Saíram com ele pela porta de fundo da prefeitura, literalmente, colocaram dentro do camburão e jogaram spray de pimenta lá dentro.”

As lideranças ficaram detidas até aproximadamente 9h da noite. De acordo com os movimentos, depois de prestarem depoimento, no boletim de ocorrência constaram dois crimes: esbulho processório – “que não tem qualquer sentido, já que a prefeitura foi evacuada porque o prefeito quis, não houve uso de violência e eles tinham acesso e controle da maior parte do prédio”, diz Aiano – e “usurpação da água”, porque as famílias, de acordo com ele, beberam água da prefeitura.

Pedro Marin, na Revista Opera

CONHEÇA A NOSSA LIVRARIA! COMPRE OS NOSSOS TÍTULOS!