Publicações e Posts


 

Esta é a seção de Postagens e Publicações, partilhadas pelos distintos sites vinculados ao Jornal A Pátria. Para retornar a seção ou blog que estava anteriormente, basta clicar nela abaixo (ou voltar no navegador):

Stalin, um exímio líder, revolucionário, comunista e camarada

Atualizado: Mar 9

Stalin era um garoto georgiano nascido em 21 de dezembro de 1879, vindo de uma família pobre, sua mãe (Yakaterina) e seu pai (Vissarion) eram ambos de origem camponesa, vindos de épocas terríveis para o campesinato, porém agora eram um casal de costureira e um sapateiro.

Estudou em uma escola religiosa em Gori e quando ingressou no seminário em Tíflis (1894-1899) iniciou seus estudos do marxismo e teve contato com exilados da Transcaucásia. Em 1899 é banido por divulgar o marxismo e em 1901 entra para a clandestinidade e cria o jornal Brdzola, e em 11 de novembro foi eleito membro do Comitê do P.O.S.D.R em Tíflis e já em 1903 ingressa no Partido Bolchevique, em 1912 ele ingressou no jornal Pravda e no Comitê Central Bolchevique, e nesse mesmo ano, Lênin pede a ele que vá a Varsóvia e Viena para transmitir a linha de ruptura imediata com os mencheviques, ao regressar a São Petesburgo é preso pela quinta vez e regressa após a Revolução de Fevereiro e o jornal Pravda é fechado e Lênin se exila na Finlândia, e nesse período Stalin dirigiu o partido. Com a volta de Lênin para a insurreição em outubro, Stalin integra o centro revolucionário militar e após a gloriosa Revolução de Outubro, Stalin se torna comissário do povo para Assuntos das Nacionalidades e em 1922 Secretário Geral do Partido Comunista. Com isso concluímos que desde sua entrada no seminário ele era um jovem que seguia os passos do marxismo e seguia a linha de Lênin e nesse período ele também escreveu obras como “Marxismo e a Questão Nacional”, o que nos faz pensar que além de apenas revolucionário ele era também um grande estudioso.

Os oportunistas dizem que Stalin não participou nem lutou na Revolução de Outubro e na Guerra Civil Russa, isso é um absurdo porque grandes méritos e feitos seus são do período da Guerra Civil Russa e como vimos acima, ele sempre esteve na esfera do partido. Alguns de seus feitos foram: A reconquista de terrenos na Ucrânia e Rússia do Sul das mãos de Dénikine, liquidou o exército-branco ao norte do Mar de Azov, defendeu Lvov e a Crimeia, defendeu Petrogrado contra Iudénitch, chegou a ser condecorado com a Ordem da Bandeira Vermelha e denunciou comandantes que estavam trabalhando clandestinamente para o exército branco e também nos congressos do partido em meio à guerra, denunciou as posições quase ditatoriais de Trotsky enquanto coordenava o Exército Vermelho.

Desde o período antes de ser Secretário-Geral, Stalin já era um exímio comandante e organizador e isso deu as caras novamente quando coordenou a coletivização da URSS que mesmo com diversos impasses, falta de comunicação entre partido e campo, tomada de posições erradas por outros dirigentes do partido e grande resistência da burguesia do campo, no final teve grandes êxitos tanto econômicos como sociais.

Suas conquistas no campo foram exímias, uma prova disso é que em 1930 a coletivização teve um resultado entre 77 a 82 milhões de toneladas colhidas, neste ano os sovkhozes e kolkhozes foram responsáveis por 28,4% de toda a produção agrícola que no ano passado tinha sido 7%. O consumo total da população rural evoluiu de um índice 100, em 1928, para 105,4 em 1929. Esses resultados mostram que a primeira coletivização teve um sucesso agradável, mas a segunda teve resultados melhores ainda e fez que as famílias camponesas aderissem cada vez mais pelas fazendas coletivas. Um exemplo disso foi que em dezembro de 1930, 25,9% de famílias tinham aderido à coletivização, em junho de 1931 esse número já subiu para 57,1%, no mesmo mês em 1934 atingiram 71,4% e finalmente no final de junho de 1936 tivemos o resultado de 90,3% de famílias que optaram pela agricultura coletiva.

E com os trabalhadores cada vez mais unidos para a produção no campo, rapidamente o país viu os resultados positivos, o primeiro veio logo no ano de 1933 onde a colheita deu 90 milhões de toneladas e tivemos uma pequena queda em 1934 onde foi para 89,4, e em 1935 os resultados voltaram para 90 milhões e mesmo após a péssima colheita de 1936, graças a condições climáticas desastrosas, em 1937 a URSS teve sua colheita Record, com o resultado de 121 milhões de toneladas e nos anos seguintes as colheitas se mantiveram com resultados extraordinários graças à coletivização dirigida por Stalin, porque de 1938 até 1940 as colheitas ficaram entre 105 a 118 milhões de toneladas. E por causa da ótima condução feita pelo partido que agora sabia dos erros da primeira coletivização, da força do camponês russo e o entusiasmo pela construção do Socialismo, o campo conseguiu abastecer uma população urbana que tinha crescido de 24 milhões para 61 milhões entre 1920 e 1940. A coletivização mesmo com erros crassos em seu primeiro período deu resultados positivos, mas com a correção desses erros e denúncia deles pelo partido e principalmente por Stalin em seu texto “A vertigem do Sucesso”, e o entusiasmo popular pela construção do Socialismo e Progresso, a segunda onda de coletivização teve resultados imprescindíveis que conseguiram consequentemente abastecer e sustentar a industrialização soviética que mesmo com algumas ineficiências e erros deu resultados memoráveis para a população soviética, algumas dessas conquistas foram:


A taxa média anual de crescimento da produção industrial na década de 1930 girou em torno de 16% (a dos EUA, entre 1889 e 1929, foi de 5%, e a da Inglaterra entre 1885 e 1913, 3%);

A produção de eletricidade por ano elevou-se de 6 para 40 bilhões de kWh, a de carvão, de 30 para 133 milhões de toneladas, e a de automóveis, de 1400 para 211 mil unidades;

Antes da revolução, o número de médicos era de 20 mil, em 1937 passou a 105 mil;

O número de leitos de hospital passou de 175 mil para 618 mil;

Em 1914, o número de pessoas que frequentavam escolas de todos os níveis era de 8 milhões, em 1928, 12 milhões, e em 1938, 31.5 milhões;

Em 1913, 112 mil pessoas estudavam em estabelecimentos de nível universitário, e em 1939, 620 mil;

Antes da revolução, as bibliotecas públicas possuíam 640 livros para cada 10 mil habitantes, e em 1939, 8.610;

Antes de 1928, a taxa de analfabetismo era de 80%, mas em 1938, 90% da população sabia ler e escrever. E além disso, o governo de Stalin conseguiu dar pleno emprego, moradia, comida, roupas (mesmo com uma indústria de bens de consumo fraca), saúde, estudos com as bibliotecas, educação e preços controlados e justos, igualdade de direitos e deveres entre homens e mulheres garantidos pela constituição de 1936 que além disso também assegurava liberdade religiosa, criminalizou o racismo e deu direitos iguais no trabalho e fora dele para as mulheres.

Os planos quinquenais tiveram êxitos tão grandes que até a CIA os elogiou e relatou seus resultados em documentos que irei deixar no final do texto.


Além de suas conquistas econômicas e sociais, Stalin é muitas vezes lembrado por ter derrotado o Fascismo na Guerra Patriótica, o exército vermelho era um exemplo de cooperação, mesmo estando muitas vezes com suprimentos balísticos baixos, eles conseguiram virar o jogo com sua cooperação e vontade de defender a URSS. Se não tivesse sido a URSS, provavelmente a maior parte do mundo agora, estaria estendendo a mão direita e gritando “Heil Hitler”. Sua direção militar era a melhor dentre os representantes de cada país, isso até Averrel Harriman, um político estadunidense assegura na frase: “Grande inteligência, a sua fantástica capacidade de penetrar nos detalhes, a sua perspicácia e a sensibilidade humana surpreendente que revelou, pelo menos, durante os anos de guerra.


Acho que ele era mais bem informado que Roosevelt, mais realista que Churchill e, sob vários aspectos, o mais eficaz dos dirigentes da guerra”. E além disso, até os generais Jukov e Vassiliévski, um dos chefes militares mais importantes e de destaque disseram respectivamente: “É pessoalmente a Stalin que se devem soluções de princípio, em particular as relativas aos procedimentos de ataque da artilharia, à conquista do domínio aéreo, aos métodos de cerco do inimigo, à deslocação de agrupamentos inimigos cercados e à sua destruição sucessiva por elementos, etc. Todas estas questões importantes da arte militar são frutos de uma experiência prática, adquirida no decurso dos combates e das batalhas, fruto de reflexões aprofundadas e conclusões retiradas dessa experiência pelo conjunto dos chefes e pelas próprias tropas. Mas o mérito de Stalin consiste em ter acolhido adequadamente os conselhos dos nossos especialistas militares eminentes, de os ter completado, explorado e comunicado rapidamente sob a forma de princípios gerais nas instruções e diretivas dirigidas às tropas, com vista a assegurar a condução prática das operações. ”

Vassilévski diz também: “Stalin entrou duradouramente na história militar. O seu mérito indubitável esteve em que, sob a sua direção imediata enquanto comandante supremo, as forças armadas soviéticas mostraram-se firmes nas campanhas defensivas e realizaram brilhantemente todas as operações ofensivas. Mas, tanto quanto pude observar, ele nunca falava dos seus méritos. Em todo caso, nunca o ouvi falar disso. A condecoração de Herói da União Soviética e o título de Generalíssimo foram-lhe conferidos por proposta dos comandantes da frente e do Bureau Político. Quanto aos erros cometidos durante os anos de guerra, ele falava deles honesta e francamente. ”

“Estou profundamente convencido de que Stalin, particularmente a partir da segunda metade da Grande Guerra Patriótica, foi a figura mais forte e mais brilhante do comando estratégico. Cumpriu com êxito a direção das frentes, justificando todos os esforços do país, na base da política do Partido. (...) Stalin permanece na minha memória como um chefe militar rigoroso, de vontade forte, não lhe faltando ao mesmo tempo encanto pessoal. ” Kruschev tentou desmerecer Stalin, dizendo que ele tomou a glória dos comandantes, do exército, do povo que lutou e etc. Sendo que na verdade essas mesmas pessoas e grupos reconheciam que Stalin foi um bom dirigente, o povo, exército e Partido reconheciam os méritos de Stalin, as acusações de Kruschev tem um gigantesco tom de uma inveja. A guerra contra o veneno fascista foi vencida com a união de todo o povo soviético, mas não reconhecer os méritos de Stalin em meio à isso significa uma pura pirraça ideológica, porque até os chefes militares reconheciam Stalin.


E além de todas as conquistas econômicas, sociais, militares, etc, Stalin deu uma grande conquista para a Ciência Imortal do Proletariado, ele sintetizou o Leninismo e tratou de aplicá-lo para a realidade material da época do imperialismo e assim foi concebido a fase superior ao marxismo, o marxismo-leninismo. O Leninismo surge, então, a partir de uma revolução proletária, como um contra-ataque ao oportunismo da II Internacional e na época do “imperialismo, a fase superior do capitalismo”. A Rússia, à época do surgimento do leninismo, se encontrava num regime czarista e dominado pelo imperialismo, “a Rússia era o ponto de convergência de todas estas contradições do imperialismo. ”-dizia Stalin. O leninismo surge principalmente de 3 obras, onde foi-se concebida novos aportes a filosofia (Materialismo e empiriocriticismo), economia (Imperialismo, fase superior do capitalismo) e Política Socialista (O Estado e a Revolução). Stalin sintetizou o Leninismo para combater o revisionismo e oportunismo dentro partido. Para mostrar aos comunistas de todo o mundo, que o marxismo na época do Imperialismo era diferente, necessitava novos aportes e aprimoramentos. Stalin foi o responsável por sintetizar e propagandear a nova etapa do marxismo, que depois será aprimorada mais ainda por Mao.

Poderíamos ficar aqui, escrevendo muito tempo sobre as diversas conquistas tanto do Partido que tinha Stalin como Secretário-Geral quanto de Stalin como revolucionário, Marxista e Militar. Mas tanto o tempo quanto a pesquisa teriam que ser imensos e gigantescos. Mas vimos aqui, que Stalin tem que ser reivindicado por todos aqueles que se dizem marxistas ou comunistas, não só por suas conquistas econômicas na URSS, mas também porque ele foi um exímio comunista e revolucionário. Stalin deu glória, dignidade, felicidade e esperança ao povo soviético, seus êxitos refletiram-se em todo o mundo, Stalin é o Pai de Todos os Povos.

Revindicar Stalin é revindicar o marxismo-leninismo e sua aplicação.


SLAVA STALIN


Fontes e Referências:


Um novo Olhar Sob Stalin -Ludo Martens

https://www.marxists.org/portugues/martens/1994/olhar/index.htm

https://www.marxists.org/portugues/stalin/index.htm

http://boradiscutir.blogspot.com.br/2014/12/uma-economia-socialista-funciona.html BARAN, P. ''Desenvolvimento econômico rápido''.


A economia política do desenvolvimento

https://www.cia.gov/library/readingroom/docs/DOC_0000500622.pdf

https://www.marxists.org/reference/archive/stalin/works/1933/01/07.htm

https://www.cia.gov/library/readingroom/docs/DOC_0000499604.pdf

https://www.cia.gov/library/readingroom/docs/DOC_0000500617.pdf

https://www.cia.gov/library/readingroom/docs/DOC_0000500835.pdf

https://www.cia.gov/library/readingroom/docs/DOC_0000499611.pdf

https://www.cia.gov/library/readingroom/docs/DOC_0000499612.pdf

https://www.cia.gov/library/readingroom/docs/DOC_0000499610.pdf

https://www.cia.gov/library/readingroom/docs/DOC_0000499546.pdf


Por @fabiocunhaneto, Fabio Neto

CONHEÇA A NOSSA LIVRARIA! COMPRE OS NOSSOS TÍTULOS!